O que fazer quando a avaliação de riscos ocupacionais apresenta um risco biológico na área de trabalho? Quais medidas de prevenção e controle devem ser implantadas? Hoje, no Gestão de SST, você verá tudo que você, prevencionista, pode fazer para controlar e prevenir os riscos que este agente pode causar à saúde dos colaboradores.

Bactérias, Vírus e Patógenos nos Riscos Biológicos

Quando uma avaliação de riscos ambientais apresenta a existência de determinados agentes biológicos no ambiente de trabalho, as medidas preventivas a serem implementadas serão em função do grau de risco ao qual os agentes biológicos pertencem. Além do mais, em todos os casos, devemos agir com prudência e cautela.

Não devemos considerar apenas a fonte ou foco emissor do agente biológico, mas também o processo ao qual ele pode ser liberado, de forma que seja possível agir sobre o agente ou sobre os reservatórios e meios de sobrevivência do micro-organismo.

Caso não seja viável a implementação de medidas de prevenção que operem na fonte geradora do risco biológico, ou se por exemplo já foi implementada e foi insuficiente, ações devem ser realizadas no meio de transmissão. Essas medidas tem a função de minimizar a dispersão do contaminante no ambiente de trabalho.

As medidas no receptor devem ser usadas quando as ações no foco e no meio de transmissão deixam de ser viáveis ou foram insuficientes!

Classificação dos riscos biológicos

A virulência e a gravidade de uma contaminação por micro-organismos envolvidos em um acidente só pode ser classificado de acordo com o seu nível de risco.

Classificação dos Riscos Biológicos

E estes agentes biológicos estão classificados da seguinte forma:

Classe de Risco I

Baixo risco individual e para a coletividade. Inclui os agentes biológicos conhecidos por não causarem doenças em pessoas ou animais adultos sadios. Exemplo: Lactobacillus sp.

Classe de Risco II

Moderado risco individual e limitado risco para a comunidade. inclui os agentes biológicos que provocam infecções no homem ou nos animais, cujo potencial de propagação na comunidade e de disseminação no meio ambiente é limitado, e para os quais existem medidas terapêuticas e profi láticas efi cazes. Exemplo: Schistosoma mansoni.

Classe de Risco III

Alto risco individual e moderado risco para a comunidade. inclui os agentes biológicos que possuem capacidade de transmissão por via respiratória e que causam patologias humanas ou animais, potencialmente letais, para as quais existem usualmente medidas de tratamento e/ou de prevenção. Representam risco se disseminados na comunidade e no meio ambiente, podendo se propagar de pessoa a pessoa. Exemplo: Bacillus anthracis.

Classe de Risco IV

Alto risco individual e para a comunidade. Inclui os agentes biológicos com grande poder de transmissibilidade por via respiratória ou de transmissão desconhecida. Até o momento não há nenhuma medida profi lática ou terapêutica eficaz contra infecções ocasionadas por estes. Causam doenças humanas e animais de alta gravidade, com alta capacidade de disseminação na comunidade e no meio ambiente. Esta classe inclui principalmente os vírus. Exemplo: Vírus Ebola.

Classe de risco especial

Alto risco de causar doença animal grave e de disseminação no meio ambiente. Inclui agentes biológicos de doença animal não existentes no País e que, embora não sejam obrigatoriamente patógenos de importância para o homem, podem gerar graves perdas econômicas e/ou na produção de alimentos.

Informações detalhadas sobre as classificações aqui!

Medidas de prevenção do Risco Biológico no local de trabalho

Medidas Preventivas de Risco Biológico no ambiente de trabalho - Laboratório

Fonte

Nessa fase você deve realizar a identificação e a avaliação dos riscos biológicos, determinando sua natureza, grau de risco e a exposição dos trabalhadores.
Ex.: Substituição dos agentes biológicos que estão prejudicando a saúde dos colaboradores por outros que não são ou em menor grau de periculosidade.

Meio de Transmissão

Aqui iremos realizar a redução dos riscos aos quais os colaboradores estão sendo expostos, efetuando a adoção de medidas de segurança e verificação do meio ambiente de trabalho.
Ex.: Estabelecendo o controle sanitário prévio e contínuo.

Trabalhador

Esta deve ser considerada a última fase quando falamos de medidas preventivas no ambiente de trabalho. Nesta fase iremos realizar treinamentos e agregar o máximo de informações possíveis aos trabalhadores sobre o agente biológico ao qual estão expostos. Principalmente os danos à saúde, segurança e higiene. Aqui também iremos tratar sobre os treinamentos de uso dos EPI’s – Equipamentos de Proteção Individual.

Medidas de controle do Risco Biológico

Com essas principais táticas de controle, você pode reduzir o risco de exposição aos patógenos ou aos riscos biológicos encontrados no ambiente de trabalho!

  • Controles de engenharia de SST
  • Estágios no trabalho
  • Equipamentos de Proteção Individual
  • Redução na fonte
  • Programa de imunização ou calendário de vacinação

Vale lembrar que nenhum desses métodos apresentados são 100% eficazes se apenas utilizados sozinhos. Eles devem ser utilizados em conjunto, como barreiras de proteção contra acidentes de trabalhos em ambientes que apresentam exposição para agentes biológicos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui