Fatores de risco para atividade de soldador

Olá, pessoal, hoje iremos falar um pouco sobre os fatores de riscos na atividade de soldador. Nós sabemos que há diversos fatores e podemos classificá-los em 2 categorias: riscos físicos e riscos químicos.
Ao longo do artigo você entenderá um pouco mais sobre esses fatores de riscos que os soldadores estão expostos e quais suas medidas preventivas!

 Processo de soldagem e riscos para soldador

Conceitos básicos sobre a atividade de soldador

De acordo com o CBO (Classificação brasileira de ocupação), a descrição da atividade de soldador é:
“Unem e cortam peças de ligas metálicas usando processos de soldagem e corte tais como eletrodo revestido, tig, mig, mag, oxigás, arco submerso, brasagem, plasma. Preparam equipamentos, acessórios, consumíveis de soldagem e corte e peças a serem soldadas. Aplicam estritas normas de segurança, organização do local de trabalho e meio ambiente.”

Tipos de solda e soldagem

Existem diferentes tipos de solda e soldagem, as seguintes são as mais comuns: oxiacetileno e solda elétrica.

A soldagem autogénea é alimentada com oxigênio ou ar e um gás combustível (acetileno), os dois componentes são misturados antes de ocorrer a combustão no próprio bocal do maçarico. O calor derrete as superfícies metálicas das peças a serem soldadas, produzindo a união das mesmas. Fluxos químicos podem ser usados para proteger a solda da oxidação e, assim, facilitar a colagem.

Também é possível realizar operações de corte a gás (oxicorte) com um sistema similar. O metal é aquecido por meio de uma tocha e um jato de oxigênio é direcionado para o ponto de corte, que então é movido ao longo da linha a ser cortada.

Em relação à soldagem elétrica, observe que um arco elétrico é estabelecido entre o eletrodo e a peça a ser soldada, conectado a uma fonte de corrente alternada ou contínua. A temperatura, quando as peças se fundem, atinge aproximadamente 4.000 ºC. Geralmente, é necessário adicionar metal fundido à junta por meio da fusão do próprio eletrodo ou pela fusão de uma haste de alimentação independente que não esteja conectada à corrente.

Riscos na atividade de soldador

Físicos: Ruídos, radiação e calor;
Químicos: Fumos metálicos, gases e vapores;
Ergonômicos: Exigência de postura inadequada, monotonia e repetitividade;
Riscos de acidente: Probabilidade de incêndio ou explosão, choque elétrico.

Medidas preventivas

• A existência de gás acetileno no ar em proporções entre 2% e 80% pode causar explosões.
Para evitá-los, recomenda-se ventilação e inspeção adequada para garantir que não haja vazamento de gás.

• Quando houver risco de incêndio, atenção especial deve ser dada às divisórias, pisos, objetos ou resíduos e, em geral, a todos os materiais combustíveis que devem ser adequadamente removidos por chapas ou placas à prova de fogo.

• Queimaduras podem ocorrer nos olhos e em outras partes do corpo expostas, por causa de possíveis respingos de partículas de metal incandescentes, por isto, deve-se utilizar os equipamentos de proteção individual, como máscara de solda, luva de raspa, avental de raspa, braçadeira de raspa, perneira de raspa e botas de segurança. Além disso, radiações intensas da tocha e do metal incandescente do arco de solda podem causar desconforte ao operador e às pessoas próximas à operação, e precauções devem ser tomadas.

• Para evitar a inalação de fumos metálicos e outros poluentes liberados durante a atividade de soldagem, os ventiladores localizados serão instalados perto da fonte, o que ajudará a extraí-los. Se a ventilação local não for possível, será necessário usar equipamento de proteção respiratória.

Na soldagem com oxiacetileno, as seguintes medidas serão adotadas:

• Manutenção do equipamento é essencial. As tochas devem ser mantidas em bom estado e limpas periodicamente (use apenas uma haste de madeira ou fio de latão). Os reguladores serão conectados por meio de mangueiras especiais reforçadas com lona, de modo que sua deterioração não seja possível.

• Não lubrifique ou manuseie válvulas, conexões ou qualquer outro elemento com as mãos sujas de graxa ou óleo.

• As garrafas de oxigênio e acetileno devem ser armazenadas separadamente, especialmente nas salas usadas para o armazenamento de materiais inflamáveis.

• As garrafas também devem ser protegidas da radiação solar ou de outras fontes de calor e colocadas de modo que possam ser facilmente transportadas em caso de incêndio. Para este propósito, caminhões especiais devem ser utilizados e, sob nenhuma circunstância, o transporte por eletroímãs deve ser feito.

• Nas áreas de armazenamento, a iluminação elétrica deve ser à prova de chamas ou fora do armazém.
No caso do corte com gás (oxicorte) , o equipamento oxicorte possui riscos específicos, portanto, deve ser utilizado apenas por pessoas instruídas em seu manuseio e que conheçam os riscos do equipamento e as medidas preventivas que devem ser adotadas.

Entre essas medidas, devemos destacar o seguinte:
– As pressões recomendadas pelo fabricante devem ser usadas.
– As tochas, mangueiras e reguladores serão mantidos bem fechados, limpos e livres de graxa ou óleo.
– Reguladores e medidores de vazão, assim como dispositivos de precisão, não devem ser submetidos a choques ou mudanças bruscas de pressão e serão utilizados apenas
para o gás específico para o qual são fabricados.
– Não se deve operar uma instalação que não tenha válvulas anti retorno adequadas.
– A instalação e todo o material devem ser submetidos a revisões e revisões periódicas. Quando os defeitos são notados, a intervenção dos serviços de reparo e manutenção do fabricante é recomendada.

EPI’s para soldador

Os epi’s para a atividade de soldador, são:

• Avental de raspa
• Máscara de solda com lentes de tonalidade correta
• Blusão para soldador
• Mangote de raspa
• Botas de proteção com solado isolante
• Luvas de vaqueta ou raspa
• Perneira
• Touca de soldador
• Máscara para fumos metálicos
• Óculos de proteção
• Protetor auricular

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui