O que é a APR - Análise Preliminar de Risco e quem pode elaborar?

Identificar riscos potenciais no ambiente de trabalho é uma empreitada necessária para qualquer empresa que busca cumprir a lei e se preocupa com a saúde de seus funcionários.

É por causa disso, que a APR (Análise Preliminar de Riscos) é encontrada com frequência no cotidiano de muitos especialistas no campo da segurança do trabalho. Isso se deve ao fato de que essa análise atua no ambiente de trabalho como uma poderosa ferramenta de gestão de saúde e segurança do trabalho.

Neste artigo tiramos algumas das principais dúvidas sobre este documento para que você compreenda melhor sobre o quão importante ele é para a prevenção de acidentes de trabalho.

O que é a APR?

O que é a APR?

A Análise Preliminar de Riscos é, sobretudo, uma pesquisa feita de forma preliminar e detalhada de todas as etapas das atividades que precisam ser realizadas em um local de trabalho para identificar prováveis adversidades ou riscos para os colaboradores, o meio ambiente, o capital, a imagem e os serviços da empresa.

O desenvolvimento da Análise Preliminar de Riscos (APR) originou-se na área militar e foi utilizado em sistemas de produção de material bélico para prevenir futuros acidentes ou tragédias. Atualmente, o APR é indispensável para trabalhos em altura e em espaços confinados.

Como elaborar a APR?

A APR deve sempre ser elaborada pelos profissionais do setor de segurança do trabalho com a ajuda dos funcionários que exercem as atividades que devem ser analisadas, a fim de obter o máximo possível de informações sobre as atividades e seus possíveis riscos. Também serão necessárias a realização de visitas aos locais de trabalho para assim obter as características físicas da área.

Perante o reconhecimento e o levantamento de cada risco identificado, suas possíveis causas, consequências e gravidade são descritas. Algumas medidas corretivas ou preventivas também são desenvolvidas para prevenir acidentes na empresa e para preservar a saúde e bem-estar dos colaboradores.

Principais etapas para a elaboração da Análise Preliminar de Risco:

Checklist para elaborar a APR

• Identificação de possíveis riscos;

• Levantamento dos riscos;

• Identificar suas causas e vulnerabilidades;

• Identificar os grupos ou bens potencialmente sujeitos a tais ameaças;

• Avaliação de possíveis consequências e danos;

• Análise qualitativa dos riscos;

• Planejamento de gerenciamento de riscos e solução de problemas.

Não há um modelo específico e obrigatório para estruturar todas as análises preliminares de riscos, mas o documento pode ser feito na forma de uma lista de verificação que contém todos os prováveis riscos e sua distribuição na tabela.

Há também a possibilidade de estruturar o documento na forma de uma planilha, listando as ações realizadas na coluna, juntamente com os riscos associados, seus níveis de intensidade, medidas de prevenção e recomendações de medidas a serem tomadas em relação a segurança do trabalho.

Importância da APR para a segurança do trabalho

Já estamos cientes que o desenvolvimento da APR é fundamental para criar e implementar diversas medidas destinadas a controlar certos tipos de riscos. Mas os benefícios da APR vão muito além de seu planejamento.

Além de definir a responsabilidade pela eliminação de acidentes e problemas, uma análise de preliminar de riscos bem elaborada tem a capacidade melhorar a gestão de segurança do trabalho através de seus vários propósitos, como os que iremos ver abaixo.

Visão geral das ameaças

A APR avalia as semelhanças com outros procedimentos da empresa e assim determinar possíveis adversidades podem surgir no local de trabalho avaliado.

Antecipação de problemas que podem surgir no futuro

A APR identifica não apenas os riscos que podem causar danos diretos a um funcionário, mas também avarias ao equipamento, interrupções nos trabalhos, perda de materiais, etc.

Criando métodos de controle de danos

Se por algum acaso acontecer algum fracasso no controle dos riscos, a avaliação ainda considera algumas opções para limitar ou minimizar perdas e danos.

Revisão completa da eliminação ou controle de riscos

É importante haver uma reunião para que toda a equipe possa dar ideias, a fim de determinar as melhores opções de medidas preventivas compatíveis com os requisitos do procedimento que está sendo analisado.

Determinação de medidas de segurança responsáveis

Além de criar um plano com várias medidas prevenção e de correção, o APR serve para denominar um especialista responsável pela implementação das atividades que serão desenvolvidas em cada unidade.

Aumentar a conscientização dos funcionários sobre sua própria segurança

Isto é conseguido devido ao fato de que todos os colaboradores estão plenamente cientes do conteúdo do APR e suas consequências ao realizar o trabalho.

O que deve ser incluído na APR?

Apesar de não existir um padrão que determine como ele deve ser documentado, alguns elementos são fundamentais para garantir que as necessidades de segurança de uma empresa sejam atendidas. Eles são:

• Nome e as funções dos responsáveis ​​pela implementação da APR;

• Nome da empresa;

• Data de aplicação da análise;

• Tarefa (ou função) a ser executada e sua descrição;

• Riscos detalhados do trabalho realizado;

• Uma descrição do EPI e EPC necessários para executar a tarefa que está sendo analisada;

• Normas de segurança devem ser adotadas.

Leia mais: O que é EPI?

Deve-se ter ciência de que o documento resultante do desenvolvimento da APR deve ser acessível a todos os colaboradores e recomendado para exibição em um local acessível e visível dentro da empresa.

Quem desenvolve e é responsável pela análise preliminar de riscos?

Tanto o Engenheiro quanto o Técnico de Segurança do Trabalho estão aptos para elaborar a APR, no entanto outros responsáveis da empresa (como gerentes e funcionários) podem elaborar a análise preliminar de riscos.

É importante que existe o envolvimento de mais profissionais, porque quanto mais interdisciplinar forem as ideias para a análise preliminar de riscos, mais ampla e eficiente será o resultado.

APR é um procedimento que pode ser realizado em uma variedade de atividades, e não apenas naquelas que colocam seus funcionários em risco. Esta é uma análise preliminar realizada de caráter preventivo

Portanto, não há necessidade de aplicar essa prática somente se o empregador estiver confiante de que a atividade cria ameaças, mesmo que eles não saibam muito bem o que são. Muitas vezes, os gerentes da empresa nem percebem que podem surgir problemas no local de trabalho com um futuro funcionário e, portanto, sabem que vale a pena pensar na APR, mesmo que seja para comprovar não há riscos para as atividades do funcionário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui